CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 4007-2851

Cremação ou enterro? Entenda a diferença

Entenda a real diferença entre sepultamento e cremação e decida qual destino dar ao seu corpo após a sua partida

Cremação ou enterro? Entenda a diferença

 

Cremar ou enterrar, uma questão que deixa muitas pessoas em dúvida quando o assunto é o que fazer com o nosso corpo após a partida desta terra.

A diferença entre sepultamento e cremação, não é difícil de ser entendida pelo óbvio, cremação consiste no ato de cremar o corpo, enquanto que enterro consiste no ato de colocar um corpo sob a terra.

Entretanto, os dois procedimentos possuem mais detalhes do que se possa imaginar.

Para que você venha entender melhor como surgiu e como funciona cada um desses procedimentos, preparamos este artigo com riqueza de detalhes para auxiliá-lo na escolha. Vamos lá?

História da cremação

Cremação nada mais é que reduzir um corpo a cinzas por meio da queima do cadáver, é uma prática antiga.

Nas civilizações Grega e Romana, a cremação era vista como um procedimento destinado às pessoas nobres.

Por outro lado, os assassinos, criminosos, suicidas, pessoas mortas por raios (considerada até então uma "maldição" de Júpiter) eram tidas como pessoas impuras, com isso, o que lhes restavam eram o sepultamento.

Para os Romanos, a prática da cremação começou a ocorrer por volta de 750 A.C e para os Gregos por volta de 1.000 A.C .

No Japão, a prática chegou em 552 d.c oriunda da China, a cremação foi bem aceita, pois o Japão já sofria com a falta de espaço territorial. Cerca de 98% dos japoneses são adeptos a esta prática.

Quanto custa a cremação

O valor da cremação difere de acordo com cada região, no Brasil, a maior parte dos crematórios são particulares.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, o preço de uma cremação pode custar de R$ 768,24 podendo chegar até uma faixa de R$ 21.163,08, tudo muda de acordo com o escolhido pelo cliente, como exemplo a qualidade da urna, o serviço escolhido para o traslado do corpo e, até mesmo o tipo de flor escolhida para o momento da despedida.

Outra questão que difere o sepultamento da cremação é em relação as taxas administrativas.

No enterro é necessário que a família adquira um jazigo e posteriormente, pague taxas anuais para que os cemitérios realizem a manutenção desses jazigos.

História do enterro

O enterro é um ato tão antigo quanto a existência humana. Pesquisadores descobriram os primeiros cemitérios por volta de 60000 a.C.

Na época, a tradição de sepultar os corpos por baixo da terra, tinha um significado diferente dos dias atuais, aquela época, os corpos em decomposição atraiam os animais, fazendo com que as pessoas ficassem protegidas dos predadores.

Já o costume de velar os corpos, é de outra origem, estudiosos afirmam que essa prática surgiu na Idade Média, o nome velório faz menção as velas, pois naquela época, não existia luz elétrica, com isso, as pessoas faziam uso de velas para vigiar o falecido, daí, surgiu esse termo 'velar um corpo'.

Os primeiros cemitérios

Anteriormente, os sepultamentos ocorriam dentro das igrejas, essa prática se manteve até a década de XX, período em que começaram a surgir os primeiros cemitérios.

Pesquisadores descobriram os primeiros cemitérios por volta de 60000 a.C.

No entanto, somente os homens livres poderiam ser sepultados nas igrejas, enquanto os escravos e indígenas eram enterrados nesses locais.

Devido a esta prática, o tamanho de uma cidade era medido pela quantidade de igrejas que haviam no local.

Túmulos

É de costume fazer um túmulo no local onde o indivíduo é enterrado e esses túmulos variam de tamanho e modelo.

Os túmulos de pessoas célebres costumam ser utilizados com o fim de peregrinação por fãs e curiosos.

Em São Paulo a exemplo, existes inúmeros cemitérios com túmulos de personalidade célebres, como o Cemitério da Consolação que dispoe de túmulos com as mais belas obras primas de artistas famosos do país.

Taxa comparativa – Cremação vs Enterro

No Brasil, cerca de 98,5% dos mortos são sepultados, contra 1,5% que são cremados. Já nos EUA, o cenário é um pouco diferente, cerca de 37% das pessoas optam pela cremação, e no Japão, a diferença é notória 95% dos japoneses são adeptos a cremação.

No Brasil, a pessoa que tem o desejo de ser cremada deve registrar essa vontade em cartório junto a um documento denominado ''Declaração de Vontade''.

Caso a pessoa não tenha deixado essa vontade declarada, apenas um familiar de primeiro poderá autorizar o procedimento.

Lembrando que, em caso de morte acidental ou violenta, a cremação só pode ser realizada mediante uma Autorização Judicial.

Planos que incluem cremação

Se você gostou do artigo e gostaria de realizar um plano de assistência funeral em que possa optar pelo sepultamento ou a cremação, o Plano Funerário Familiar, é uma boa opção.

Considerado o mais completo e abrangente, o plano fornece atendimento em todo território nacional, atende idosos e permite adequar de 6 a 10 pessoas. O plano inclui:

  •     Caixão de madeira de boa qualidade
  •     Apoio logístico
  •     Enfeites florais
  •     Preparação do corpo (maquiagem e troca de roupas)
  •     Velório - duração de até 8hrs
  •     Todas as taxas municipais inclusas
  •     Locação de gaveta
  •     Diária de câmara fria (para casos de cremação).

Tudo isso a partir de R$ 69 mensais.

 

 



Você deseja conhecer nossos planos? Preencha o formulário abaixo!

DEPOIMENTOS

Nossos clientes falam por nós: somos reconhecidos pela excelência no atendimento e prestação de serviços de forma humanizada.

Ver todos os depoimentos

NOSSOS PARCEIROS

Conheça nossa ampla rede credenciada em todo o Brasil.