CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 4007-2851

Cinco passos para lidar com a perda do(a) parceiro(a) no dia dos namorados

Dicas de como conseguir lidar com um luto por morte ou separação conjugal no dia mais romântico do ano.

de Amar Assist, 5 JUNHO de 2019

As datas comemorativas costumam serem momentos muito delicados para quem vivencia o luto. Para a Psicóloga Raíssa Ortega dos Santos (CRP 06/000772) que atua no atendimento psicoterapêutico de pessoas enlutadas na região de Campinas/SP, os feriados “são momentos que costumam trazer muitas lembranças, e adquirem outro tom quando veem acompanhados dos sentimentos referentes à perda de um grande amor”.


Plano Funerário Familiar

Cuide bem de quem você ama.


O dia dos namorados para aqueles que não contam mais com a companhia dos parceiros pode ser de tristeza e saudade, bem como de bastante sofrimento.

Apesar disso, algumas dicas podem ajudar o enlutado a passar por essa data com mais tranquilidade e com sentimentos mais serenos. Abaixo listamos algumas delas:
 

1.    Faça exercícios físicos.

 Que se exercitar regularmente faz bem para a saúde todo mundo sabe, não é? Mas poucas pessoas entendem o quão importante é conseguir manter-se em movimento durante o luto.

É muito comum que perca-se a vontade de ir à academia e acordar mais cedo para fazer uma caminhada, por exemplo. Ficamos desanimados, prostrados, sem energia para colocar o corpo em atividade, e nesses momentos precisamos lembrar de como o nosso corpo precisa se mexer e quanto vamos trazer de bem estar a longo prazo mantendo uma rotina saudável.

Especialmente nos dias que antecedem a data comemorativa, foque em atividades que promovam relaxamento e que tragam sensações corporais de “extravasamento” das tensões.
 

2.    Procure apoio.

Estar perto de pessoas e em contato com atividades que sejam acolhedoras e que possam proporcionar tranquilidade é uma alternativa melhor do que ficar sozinho, em muitos casos.

Estar na companhia de pessoas com quem possa conversar é importante no luto porque precisamos de colo, de alguém que nos ouça e possa oferecer algum conforto.

Também vale falar que aqueles que partilham de alguma fé podem se beneficiar dos rituais religiosos presentes em algumas crenças para as datas comemorativas, bem como de grupos de pessoas que compartilham desses valores. O fundamental é se cercar de pessoas que ajudem a tornar esse momento um pouco mais leve.
 

3.    Expresse os seus sentimentos de alguma forma.

Seja conversando com um amigo, escrevendo um diário ou uma carta de despedida, ouvindo uma música, fazendo uma oração (aos que têm alguma fé), e até mesmo dançando, expresse o que está sentindo e permita que os sentimentos do luto possam ser sentidos e respeitados. O luto precisa acontecer para que possamos seguir com as nossas vidas e encontrar uma nova forma de viver apesar da perda.

Isso inclui também permitir as lembranças do parceiro que se foi e não ignorar a data completamente. Na angústia de se livrar das lembranças dolorosas da perda, muitas pessoas optam por se afastar da realidade em datas comemorativas porque acreditam que as comemorações são incompatíveis com o luto.

Escolher não comemorar um momento culturalmente festivo pode, em alguns casos, trazer mais sofrimento, pois deixa-se de celebrar os aspectos positivos e não permite a criação de novas lembranças relacionadas àquele dia. 
 

4.    Crie novas tradições

Era o jantar no restaurante romântico no dia 12 de Junho, ou o buquê de flores recebido todos os anos na mesma data, mas as lembranças que antes eram de carinho e amor também se misturaram com a realidade dolorosa da ausência de quem amamos.

Casais tendem a criar entre si tradições e costumes que são repetidos ao longo do tempo como forma de simbolizar o amor, demonstrar afeto e dar significados carinhosos à rotina construída a dois.

O luto de quem perde um companheiro de vida é difícil, exige que tenhamos que procurar sentido em outras coisas e em nós mesmos. Uma data comemorativa como o dia dos namorados vai trazer à tona as memórias de outros anos, de outros momentos em que o amor foi celebrado junto daquela pessoa com quem escolhemos dividir a vida.

O primeiro dia dos namorados pode parecer impossível, mas é importante pensar que ainda pode ser um dia bom, apesar de tantos sentimentos conflitantes. Criar uma nova tradição é um passo fundamental. Permitir que novos momentos e novos costumes abram espaço para novas lembranças torna as comemorações progressivamente mais tranquilas e menos sofridas.
 

5.    Procure ajuda profissional

Algumas pessoas podem se sentir muito incapazes de lidar com a perda sozinhas ou mesmo isoladas de uma rede de apoio que possa ajudá-las a superar o luto.

Para todos que precisam de ajuda, recomenda-se a terapia do luto. Ela funciona com o acompanhamento de psicólogos e psiquiatras que podem orientar o enlutado a como passar da melhor forma possível por todas as fases do luto e como reorganizar a vida de uma forma que seja possível ser feliz sem o ente querido e com a imensa saudade que fica.

“A terapia do luto não tem como objetivo fazer com que se esqueça do parceiro que faleceu, mas sim adequar essas lembranças à vida de quem está vivo e à rotina dessa pessoa”, afirma a Psicóloga Raíssa. A ajuda profissional nos permite ter um guia acolhedor em um momento em que tudo parece escuridão.
 


Artigos Relacionados

Logo Carregamento